Logotipo do Museu Nacional de Arqueologia
sobre o MNA agenda faq's   informações
  english | français
amigos do MNA
amigos do MNA
   home  
   o museu
 história
 exposições
 colecções
 visita virtual
   serviços/actividades
 biblioteca
 amigos do MNA
 serviço educativo
 investigadores
 laboratório
 destaques       
 notícias     
 imprensa     
 peça do mês     
 sítio do mês     
 outros sítios     
subscrever mailing list do MNApesquisa geral: mapa do sítio       
imagem do GAMNA


Grupo de Amigos do Museu Nacional de Arqueologia

Criado em finais de 1999 com o objectivo de apoiar as actividades e função social do Museu Nacional de Arqueologia, tanto em Portugal como no estrangeiro, o Grupo de Amigos do Museu Nacional de Arqueologia (GAMNA) possui cerca de seis centenas de sócios, com as mais diversas profissões (artistas plásticos, políticos, escritores, professores, jornalistas, sacerdotes, arquitectos, juristas, gestores de empresas...), orgulhando-se de ser na actualidade o maior e mais activo Grupo de Amigos dos museus portugueses.

No âmbito da sua missão, o GAMNA organiza actividades diversas, de que se salientam as visitas guiadas ao Museu (exposições e bastidores) e a outras instituições similares, os ciclos de conferências e cursos intensivos, a aquisição de equipamento diverso e de bibliografia para a biblioteca do Museu e a edição de brochuras e livros de interesse didáctico. Anualmente, o Grupo promove ainda, para os seus sócios, visitas de estudo a sítios arqueológicos em Portugal e no estrangeiro.

Os sócios do GAMNA beneficiam de regalias diversas (entrada gratuita no Museu, descontos na loja, em edições do Museu, etc.). Pagam uma quota anual fixada pela Assembleia-Geral do Grupo (25,00 Euros, como quota mínima na actualidade; 15,00 Euros, para o caso de estudantes). Podem ser sócios (efectivos, beneméritos ou honorários) pessoas singulares maiores de dezasseis anos e pessoas colectivas de natureza pública, cooperativa ou privada.

Para se tornar sócio do GAMNA, basta pedir e prencher a proposta de candidatura no balcão do Museu ou por e-mail através do  formulário aqui disponível.

Estatutos do GAMNA [pdf.117kb]

GAMNA - Corpos Gerentes - 2008 - 2011 (33kB)

GAMNA - Historial [pdf.51kb]

INQUÉRITO aos membros do GAMNA [pdf.198kb]


 
  boletim informativo GAMNA  
boletim informativo
 


O Boletim do GAMNA pretende constituir um elo de ligação entre todos os Amigos do Museu Nacional de Arqueologia. Nele se referem as principais actividades do Grupo e do Museu, aproveitando também para a divulgação das colecções e dar notícia de eventos relacionados com outros museus e com a arqueologia em geral.


download - bol.n.º15 Julho 2012.pdf(1.319 MB)
download - bol.n.º14 Julho 2011.pdf(2.34 MB)
download - bol.n.º13 Julho 2010.pdf(2.17 MB)
download - bol.n.º12 Fevereiro 2010.pdf(1.6MB)
download - bol.n.º12 Fevereiro 2010 Parecer Cordoaria.pdf(4.7MB)
download - bol.n.º11 Julho 2009.pdf(2MB)
download - bol.n.º11 Julho 2009_encarte.pdf(38KB)
download - bol.n.º11 Julho 2009 futuro_do_MNA.pdf(560KB)

download - boletim n.º10 Junho 2008.pdf (701KB)
download - boletim n.º 9 setembro 2007.pdf (968 kb)
download - boletim n.º 8 janeiro 2007.pdf (1.51 Mb)
download - boletim n.º 7 setembro 2006.pdf (1,53 Mb)
download - boletim n.º 6 outubro 2005.pdf (1,41 Mb)
download - boletim n.º 5 janeiro 2005.pdf (1,20 Mb)
download - boletim n.º 4 maio 2004.pdf (460 Kb)
download - boletim n.º 3_junho_2003.zip (2,19 Mb)
download - boletim n.º 2_setembro_2002.zip (900 Kb)
download - boletim n.º 1_outubro_2001.zip (1,73 Mb)



 
   

Logótipo do GAM 
GAM - Grupo para a Acessibilidade nos Museus 


 
   
Mais informação sobre os Amigos do Museu


Informações/Inscrições
Museu Nacional de Arqueologia
(D. Adília Antunes)
Tel. 213620000
Fax. 213620016
E-mail: grupoamigos@mnarqueologia.dgpc.pt


 

 
 
Desejo aderir ao Grupo de Amigos do Museu Nacional de Arqueologia:

 
Nome *
Morada
Cod. Postal
Localidade
Telefone
Fax
E-mail *
Profissão
Local de Trabalho
Outros Contactos
grupoamigos@mnarqueologia.dgpc.pt     

 
Deve ainda, depois de assinada enviar a ficha de inscrição

para o Museu Nacional de Arqueologia.

 
  Para receber informação sobre o Museu Nacional de Arqueologia inscreva-se na nossa mailing list, através do preenchimento deste formulário:

 
Nome
Áreas de Actividade
Amigos do MuseuArqueólogos
Câmaras MunicipaisComunicação Social
Correspondentes nacionaisCorrespondentes internacionais
EscolasFuncionários
Instituições culturaisInstitutos arqueologia /
     universidades
MuseusTitularidades
Outros 
 
Cargo/Instituição
E-mail
desejo receber informações em:
português inglês francês

geral@mnarqueologia.dgpc.pt     
 
 


Vitrina do GAMNA

 
Vista de um pormenor de uma peça da exposição Vista de um pormenor de uma peça da exposição concepção:
GAMNA
 


Designação
Estela antropomórfica em granito
Nº de Inventário 
18707
Proveniência
Crato. Portalegre
Aquisição
Doação
Datação
Calcolítico Final/Bronze Inicial
Descrição
Estela em granito, de forma subrectangular, arredondada no topo superior. Apresenta uma figuração antropomórfica por incisão representando o pescoço e a cabeça: os olhos estão representados por duas depressões profundas circulares e o nariz por um sulco vertical profundo, entre os olhos. O pescoço está reduzido a um sulco horizontal, de que pendem três curvas concêntricas sugerindo um colar. Lateralmente a peça é igualmente decorada por incisões de linhas que se cruzam formando um reticulado que podem significar os cabelos ou um toucado. A estela apresenta-se fracturada na extremidade inferior.

A MAIS ANTIGA ESCULTURA ANTROPOMÓRFICA EM PORTUGAL
(finais do 3º/inícios do 2º milénio antes de Cristo)

Podendo representar entidades tutelares dos grupos, divindades ligadas aos cultos de fecundidade, ou ainda personagens heroicizadas, esta peça constitui uma das mais antigas representações da figura humana com carácter monumental existentes em Portugal.
Este tipo de esculturas constitui a expressão de um vasto movimento ideológico-religioso que se estende desde o próximo Oriente à Península Ibérica, no período em que se inicia a emergência social dos guerreiros e heróis, ou seja, na passagem da Idade do Cobre para a Idade do Bronze. Surgem em contextos claramente funerários, ou isoladamente em locais afastados dos habitats - zonas de caça ou lugares sagrados - de que os amplos santuários rupestres de ar livre como a Bouça do Colado, no Lindoso, em Ponte da Barca, e o Vale do Tejo, na região de Vila Velha de Ródão, são os exemplos portugueses mais paradigmáticos.




 
este sítio foi preparado para ser acessível aos utilizadores com necessidades especiais
DSímbolo de Acessibilidade na Web      
pesquisa geral: mapa do sítio       
Logotipo da direção Geral do Património Cultural
  última actualização: 21/03/2017
próxima actualização: 03/04/2017
 


geral@mnarqueologia.dgpc.pt |